Consultoria líder em implantação de estratégias apresenta, em duas palestras, como a tecnologia pode melhorar a gestão e agregar valor às organizações

A Porsche Consulting, subsidiária da montadora alemã de automóveis, participará da terceira edição da IoT Latin America, o mais importante evento B2B exclusivamente voltado ao setor e com foco na geração de negócios na América Latina. A IoT Latin America acontecerá no Transamerica Expo Center nos dias 29 e 30 de agosto, simultaneamente ao 3° Congresso Brasileiro e Latino-Americano de Internet das Coisas. A Porsche ministrará duas palestras sobre o conceito de Indústria 4.0, mostrando como a aplicação destas novas tecnologias podem revolucionar a gestão da manufatura e agregar valor às organizações.

No contexto da Indústria 4.0 a Porsche mostrará como esse conceito pode trazer mais eficiência, produtividade à gestão e ainda sobre o case da própria montadora, com a integração homem e máquina. Confira a seguir a entrevista com RüdigerLeutz, diretor-geral da Porsche Consulting Brasil: 

IoT Latin America- Como será a participação da Porsche na IoTLatinAmerica?

RüdigerLeutzPorsche Consulting ministrará duas palestras no evento, uma com foco em indústria 4.0, na qual falamos como o uso de tecnologia disruptiva baseada em dados, incluindo inteligência artificial, IoT, Data Analytics e Cloud, pode revolucionar a gestão da manufatura e agregar valor às organizações, mencionando o ganho em produtividade, flexibilidade e eficiência de sistemas de automação integrados e colaborativos que permitem programar e controlar remotamente a produção nas plantas fabris, como também toda a cadeia de valor e ciclo de vida do produto. Já no tema, “IoT na indústria automotiva: aplicações práticas da fábrica ao automóvel”, como braço de consultoria da montadora alemã, vamos explorar os principais pontos a serem considerados antes de iniciar uma implantação de IoT. Implementações de IoT na indústria, case Porsche e empresas do segmento.

IoT Latin America- Quais as expectativas da empresa sobre a feira e o congresso?

RüdigerLeutzComo muitas empresas possuem atuação global, percebemos um movimento grande em pesquisa e desenvolvimento/fomento à inovação de maneira “top-down”, ou seja, quando a matriz implementa algo e as subsidiárias replicam esse movimento internamente. Nós acreditamos que as empresas brasileiras podem sim estar à frente desta ação e propor novas formas de agir, criando e inovando de maneira consistente e, por isso, acreditamos que a feira e o congresso continuem para que a discussão seja feita por decisores brasileiros e que podemos sim antever movimentos e tendências. Nada melhor do que um espaço para compartilhar expertise, conhecimento, soluções e plataformas (hardware e software) para isso.

IoT Latin America- Como o conceito da Indústria 4.0 está mudando a maneira como as fábricas operam hoje? 

RüdigerLeutzEssas mudanças trazem o risco de enfraquecer a sólida posição dos players tradicionais da indústria de máquinas. Em um ambiente cada vez mais orientado para softwares, as empresas não podem depender apenas dos seus pontos fortes de hardware e focar apenas na manufatura e produção, nem mesmo se tiverem softwares embarcados avançados. O mundo cibernético e físico futuro (Internet das Coisas) requer competências nas duas áreas – a Internet e as Coisas. Por outro lado, as empresas de máquinas também podem transformar essas mudanças em novas oportunidades de maior crescimento, maior eficiência e maior satisfação do cliente.

IoT Latin America- Como está a indústria brasileira de peças automotivas e montadoras em relação a alcançar esse conceito de Indústria 4.0?

RüdigerLeutzTemos diversos níveis de empresas aqui no Brasil, algumas mais avançadas e outras ainda com muita ineficiência. Para alcançar este “estado da arte” na manufatura e indústria 4.0 é importante sempre ter em mente a necessidade de ter um processo bem estruturado e sem desperdícios. Princípios básicos de Lean mesmo, pois um processo ruim, se for digitalizado, continuará ruim, só que agora digitalizado. Então vemos um grande número de empresas que começaram suas primeiras iniciativas de casos de uso da Indústria 4.0, principalmente com o objetivo associado de aumentar a eficiência e a flexibilidade ao longo das cadeias de suprimentos. A maioria dessas iniciativas ainda está na fase piloto, enquanto as implementações ainda são limitadas.

O sucesso das empresas líderes é decorrente de uma abordagem holística de elaboração de pilotos, conexão e implementação de casos de uso digital em toda a rede de valor. A maioria das empresas de manufatura ainda é nova na era da digitalização e na criação de valor da IoT, muitas vezes centradas na produção e ciclicamente presas na etapa de piloto. Gostamos de fazer quatro perguntas provocativas de análise situacional para facilitar um processo de adoção efetivo e ajudar as empresas a explorar todo o potencial da IoT Industrial. A primeira: como podemos preencher o hiato entre os pilotos e a implementação com impacto em escala? Como podemos alavancar a quantidade cada vez maior de dados criados em toda a nossa cadeia de valor? Como podemos melhorar a qualidade dos produtos e processos para atender às demandas do cliente, otimizando o custo e o rendimento? E por fim, como podemos monetizar as novas oportunidades de serviços digitais que surgem dos avanços da IoT Industrial, até mesmo como um fornecedor?

Com base nestas respostas, ajudamos as empresas a desenhar esta estratégia que, diga-se de passagem, deve estar na agenda central dos CEOs.

A otimização da OEE, redução dos custos operacionais, o aumento da eficiência dos processos e a qualidade e flexibilidade são referências essenciais para a implementação da IoT Industrial. O Gerenciamento do Desempenho Digital (também conhecido como gestão de ativos) é um caso base comum utilizado para oferecer suporte a cada uma dessas metas, trazendo a transparência e o controle necessários do desempenho das máquinas.

Vemos a falta de uma abordagem para a avaliação e priorização de casos de uso, obstáculos internos devido a silos de dados e problemas de segurança. Muitas empresas iniciaram o processo de transformação digital com projetos-piloto de IoT Industrial específicos de departamentos e/ou funções, predominantemente restritos às suas instalações de produção, mas a maioria das iniciativas é deixada de lado na fase piloto. As implementações completas com impacto escalável são menos comuns na indústria. As armadilhas comuns dos projetos de IoT Industrial incluem a falta de um entendimento claro, foco equivocado nas tecnologias, e não nos pontos fracos, exploração de casos de uso muito restrita, condução insuficiente dos projetos e uma abordagem de implementação pouco clara.

Os custos reduzidos na prestação de serviços e relacionamentos mais próximos com os clientes são as principais áreas que se beneficiarão com essas novas oportunidades de serviços orientados para dados. Além da revolução dos serviços, também tem havido uma mudança gradual, embora radical, nos modelos de negócios e de precificação, de baseados na propriedade para baseados no resultado.

Para exemplificar, um pouco mais do Case Porsche. Nós otimizamos toda a cadeia (C2C) e operamos com menos de 1 dia de estoque. Temos o sistema de pedido sincronizado com os fornecedores, transporte frequente de pequenas quantidades, otimização de rotas, planejamento de vendas integrado e com Takt, transparência com a rede e plano de produção suavizado (cumprimento > 99.5%). 

IoT Latin America- Como a Internet das Coisas (IoT) é usada na integração dos sistemas de uma fábrica de automóveis? E o que isso contribui na qualidade e confiabilidade do produto final? 

RüdigerLeutzNo passado, as empresas se dedicavam à excelência operacional, centrando-se em otimizar seus ativos físicos, mas as tendências recentes agora exigem a excelência digital. O elemento fundamental para a excelência digital é um fluxo de informações digitais ponta a ponta ao longo de todo o ciclo de vida do produto, conhecido como “digital thread”. Essas oportunidades de “digital thread” podem se estender a um nível ainda mais alto quando as empresas criam modelos digitais dinâmicos de suas entidades físicas, possibilitados pela Internet das Coisas Industrial e pelas tecnologias avançadas de simulação. Esses modelos são reconhecidos como “digital twins”.

Para manter um sólido posicionamento e ampliar a base de clientes em um ambiente cada vez mais competitivo, as empresas precisam atender aos mais altos padrões de qualidade e confiabilidade, em algumas indústrias de clientes com tolerâncias de erros de produção bem abaixo de 1%. Enquanto as abordagens tradicionais de gerenciamento de qualidade, baseadas principalmente em inspeções manuais, são propensas a erros e não escaláveis, as novas tecnologias permitem que as empresas otimizem todas as dimensões de qualidade relevantes simultaneamente: maior qualidade, menores custos e maior rendimento.

Na Porsche é realidade o uso de tecnologia de realidade virtual, para identificação de potenciais problemas na linha de produção e ao escancear com um tablet o carro já pronto, qualquer peça que possa ter algum tipo de problema futuro ou não conformidade é enviada automaticamente ao fornecedor desta peça, que na mesma hora, já faz a própria adequação da máquina e calibragem.

IoT Latin America- A Porsche investe em parcerias para a formação de mão de obra já visualizando os novos processos de produção da Indústria 4.0?

RüdigerLeutzTemos hoje a completa integração entre homem e máquina. Equipes formadas por consultores e especialistas em Inteligência Artificial apoiam nossos projetos desde a concepção até o teste. As aplicações potenciais incluem manutenção preditiva para instalações industriais, desenvolvimento de produtos baseados em dados e tarefas administrativas automatizadas. As aplicações potenciais para inteligência artificial em quase todos os setores. A cooperação entre humanos e máquinas aumentará a produtividade na indústria, abrirá as portas para tarefas mais desafiadoras para os funcionários e levará as inovações a serem concretizadas muito mais rapidamente. A inteligência artificial também elevará a qualidade de vida na esfera privada – em áreas como a saúde.

Levamos em conta que uma estratégia digital é tão forte quanto as pessoas que a executam, como uma consultoria líder em colocar estratégias em prática, temos uma missão clara: nós sempre nos concentramos nas pessoas — por princípio. Isso ocorre porque o sucesso é decorrente do trabalho em conjunto com nossos profissionais, clientes e seus funcionários. Só podemos atingir o nosso objetivo se incutirmos o entusiasmo para as mudanças necessárias em todos os envolvidos.

Recent Posts